Escola Infantil de Serafina Corrêa é fechada temporariamente após casos de tortura contra alunos
POLÍCIA
846

Escola Infantil de Serafina Corrêa é fechada temporariamente após casos de tortura contra alunos

Diretoras foram presas pela Polícia Civil na semana passada

Por Belchyor Teston
29/01/2024 13:55
Compartilhar
        


Uma escola particular de educação infantil de Serafina Corrêa foi fechada por tempo indeterminado pelo Conselho Municipal de Educação. A decisão, em caráter cautelar, foi tomada após duas diretoras da instituição terem sido presas pela Polícia Civil, na semana passada, apontadas como autoras de crimes de maus-tratos e de tortura contra alunos.

Susana De Pauli, presidente do órgão municipal, defendeu a medida como forma de prevenção para garantir a segurança e o bem-estar dos alunos. Segundo ela, também foi necessário interromper provisoriamente as atividades da escola, já que a instituição está “sem ocupantes nas funções essenciais de diretora, vice-diretora e coordenadora pedagógica".

A identidade das proprietárias e o nome da instituição não foram divulgados oficialmente.

A prisão:

Duas mulheres foram presas preventivamente, na tarde desta quinta-feira (25), por maus tratos praticados contra crianças em uma escola de educação infantil em Serafina Corrêa. Elas foram detidas por agentes da Polícia Civil, em cumprimento de um mandado de prisão expedido pelo Poder Judiciário.

De acordo com as investigações da polícia, elas são apontadas como autoras dos crimes de maus tratos e tortura castigo contra crianças com idades entre sete meses e quatro anos. A dupla, que não teve a identidade revelada, possui 26 e 28 anos de idade, e foi presa na própria instituição de ensino. Elas são sócias-proprietárias da escola e diretoras da instituição.

Ainda conforme a polícia, os crimes foram praticados entre 2022 e 2024. A representação pela prisão preventiva foi deferida pelo Judiciário da Comarca de Guaporé.

As duas foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia e, em seguida, levadas ao Sistema Prisional, enquanto aguardam a sequência das investigações.

Jornalismo Rádio Tapejara




Notícias Relacionadas