Como o carnaval desgasta o corpo e como sair bem da folia
ENTRETENIMENTO
782

Como o carnaval desgasta o corpo e como sair bem da folia

10/02/2024 05:51
Compartilhar
        


O carnaval é feito para ser aproveitado. Mas, seja nos blocos ou nos desfiles, esse período também acaba trazendo uma combinação de fatores que desgastam o corpo.

Além do glitter e das fantasias, outros itens também são muito comuns nos dias de folia: pouco sono, muito álcool, longas distâncias percorridas a pé e exposição constante ao calor.

De acordo com os especialistas, o desgaste no carnaval se assemelha ao de atividades físicas intensas e, por isso, é preciso adotar alguns cuidados para aproveitar a folia com saúde.

Noites de pouco sono

A rotina intensa de blocos, que começam muitas vezes logo cedo e se estendem até a noite, e os desfiles, que acontecem durante toda a madrugada, contribuem para noites de pouco sono no carnaval.

Humberto Bogossian, pneumologista do Hospital Albert Einstein, explica que o sono é fundamental para a reparação do organismo.

Esse descanso é fundamental para a recuperação tanto da parte física quanto da parte mental.

Luis Fernando Penna, médico do pronto atendimento do Hospital Sírio-Libanês, pontua que dormir pouco ao longo dos dias de festa pode ser prejudicial à saúde em diferentes aspectos.

"Essas noites mal dormidas podem provocar alterações cardiovasculares, aumentando a predisposição para arritmias", diz.

Além dos impactos cardiovasculares, a ausência de sono também gera efeitos negativos na parte emocional, levando a quadros de mais ansiedade, irritação e cansaço.

O médico ressalta que os prejuízos de dormir por poucas horas no carnaval continuam mesmo depois do fim dos dias de festa.

"A pessoa acaba voltando para a sua rotina habitual, mas demora para encaixar o sono por conta de todas essas alterações que aconteceram durante o período de carnaval", alerta Luis Fernando.

Dias de muito álcool

Se as noites de carnaval costumam ser de pouco sono, os dias tendem a ter excesso de consumo de álcool.

Apesar de ser uma prática comum durante a folia, os especialistas alertam para os perigos da ingestão de bebidas alcóolicas em grandes quantidades.

"Se a pessoa ingerir um pouco de bebida, para curtir, não há problema. O problema é usar o álcool, por exemplo, para se hidratar. Álcool não é para se hidratar", alerta o médico Humberto Bogossian.

Mais do que a já conhecida ressaca, o abuso de álcool pode causar problemas como:

- Piora da manutenção muscular e perda de coordenação motora;

- Desidratação;

- Alterações emocionais, com maior probabilidade de quadros de ansiedade;

- Prejuízos ao sono;

- Alteração cardiovasculares, favorecendo o aumento da frequência cardíaca e a ocorrência de arritmias.

Bogossian ainda destaca que o álcool tem um efeito sedativo e, em doses elevadas, pode levar à diminuição do nível de consciência e sonolência. Essas consequências acabam sendo potencializadas por conta do calor excessivo e também pela falta de hidratação adequada.

Exercício nas ruas e avenidas

Os longos trajetos percorridos a pé, nos sambódromos ou nas ruas, também causam um desgaste para o corpo.

"Isso gera uma atividade física constante, porque as pessoas pulam, dançam, às vezes usam fantasias pesadas e tudo isso é um exercício físico intenso para o corpo", analisa o médico Luis Fernando Penna.

Humberto Bogossian também afirma que o carnaval pode se assemelhar a uma atividade física intensa, mas que o desgaste depende de quanto tempo a pessoa se expõe a essa sobrecarga. "Uma coisa é você aproveitar um bloco por uma ou duas horas. Outra é passar um dia inteiro sob essas condições, além das influências climáticas", avalia.

Além do impacto muscular, que pode causar dores nos dias seguintes à folia, esses exercícios acabam gerando uma sobrecarga nas articulações, em especial quadril, joelho e tornozelo.

Penna alerta que a falta de alongamento, consumo de alimentos pesados e excesso de álcool contribuem para o desgaste da condição muscular – naturalmente causado por ficar muito tempo em pé e caminhando.

Calor excessivo

Os longos períodos de exposição ao calor, por conta do sol e das aglomerações dos blocos, podem causar uma série de problemas para a saúde.

Entre os principais riscos associados às altas temperaturas no carnaval estão a insolação e a desidratação.

Além da sensação de mal-estar, a insolação também pode vir acompanhada de queimaduras na pele. Os especialistas afirmam que, em períodos de 40 minutos a uma hora de exposição, a queimadura já pode acontecer caso não haja uma proteção solar adequada.

Outra característica comum desses problemas é a perda de coordenação motora, que pode ser agravada com o consumo excessivo de álcool.

Como sobreviver ao carnaval com saúde?

Para aproveitar a folia, e ainda voltar para casa com saúde, é interessante adotar algumas medidas para se proteger.

"Durante o carnaval, a pessoa tem que priorizar o que é importante para ela, ir aos bloquinhos, desfiles. Mas é preciso ter em mente que há um esforço físico considerável envolvido", pondera Luis Fernando.

"O carnaval é um momento festivo bacana, a gente tem que saber aproveitar, mas lembrar que todo ano tem carnaval. A maior dica é ter ponderação para poder curtir sempre e ter boas lembranças do que aconteceu", recomenda Humberto Bogossian.

Os especialistas listam algumas dicas valiosas para aproveitar o carnaval e evitar problemas de saúde:

- Se hidratar constantemente, seja com água, sucos ou isotônico. A ingestão de líquidos evita a desidratação e minimiza os efeitos de uma possível insolação. Além disso, a água ajuda a diluir o álcool no estômago, diminuindo a chance de uma ressaca no dia seguinte. ??Atenção: bebidas alcóolicas não são indicadas para se hidratar;

- Evitar beber de estômago vazio. Ingerir álcool em jejum acelera a absorção da bebida, contribuindo para ficar de ressaca mesmo com quantidades menores de álcool ingerido;

- Evitar ingerir alimentos muito pesados, antes, durante e depois da folia;

- Utilizar chapéu ou boné. Proteger a cabeça é essencial para evitar o superaquecimento do corpo e os quadros de desidratação, além de prevenir as queimaduras no couro cabeludo e bloquear parcialmente a radiação solar;

- Nos momentos mais quentes do dia ao longo do carnaval, tentar permanecer na sombra, ou em locais menos abertos;

- Dormir de seis a oito horas nos dias de folia para conseguir se recuperar e se preparar para o dia seguinte.

Fonte: G1




Notícias Relacionadas