20 julho 2022 | 09h36
  728
Compartilhar      
Mia Mamede, do Espírito Santo, é a vencedora do Miss Brasil 2022
Gaúcha fica em quinto lugar

Mia Mamede, representante do Espírito Santo, foi coroada Miss Universo Brasil 2022 na noite desta terça-feira (19), em São Paulo. Com a vitória, a capixaba de 26 anos carregará a bandeira verde-amarela no Miss Universo, concurso previsto para o final deste ano. A faixa e a coroa foram entregues a Mia por Teresa Santos, psicóloga cearense que venceu o concurso em 2021. Esta é a primeira vez que o ES conquista o título na história do concurso, que começou em 1954.

Além da vencedora, outras quatro candidatas compunham o top 5 desta final: a segunda colocação ficou com Rebeca Portilho, Miss Amazonas 2022; a terceira colocação foi para Isadora Murta, Miss Minas Gerais 2022; o quarto lugar foi para a Miss Ceará 2022 Luana Lobo e a quinta colocação ficou com a gaúcha de Pelotas Alina Furtado, Miss Rio Grande do Sul 2022. Ao longo da noite, as cinco misses foram avaliadas por suas performances, conhecimentos, oratória e desenvoltura.

Thank you for watching

A fluência em quatro línguas estrangeiras e a experiência prévia em concursos de miss — ela venceu o Miss Dubai juvenil em 2012, quando morava nos Emirados Árabes Unidos — parecem ter ajudado Mia Mamede. Ela também é formada em Jornalismo Audiovisual e Socioeconomia pela Universidade de Nova York, e proprietária da Mia Content House, produtora de conteúdo sediada em Vitória.

Noite de gala

Já na abertura do evento, sediado no Espaço na Villa Vérico, em São Paulo, as candidatas fizeram uma homenagem em vídeo às participantes das edições anteriores do concurso e também posicionaram-se contra o bullying, endossando o movimento #bullyfreestartswithme. Ao som da escola de samba Vai-Vai, com a música Isto Aqui, o que É?, as cinco misses subiram à passarela do concurso pela primeira vez na noite, mostrando que têm samba no pé. Em seguida, cada candidata fez uma segunda aparição, desfilando de biquíni.

O show de glamour e elegância que é o desfile em traje de gala foi o que antecedeu uma primeira rodada de perguntas dos jurados para todas as candidatas sobre educação, trabalho voluntário, maturidade emocional e representatividade. Em seguida, ela também participaram de uma segunda rodada, onde todas utilizaram fones de ouvido com isolamento acústico, para que não ouvissem as respostas umas das outras para a pergunta: "O Brasil é quinto país no mundo com maior índice de violência contra a mulher. Como Miss Universo Brasil, qual é a sua responsabilidade social? Com esse tema, o que tu pretendes fazer para prevenir e combater violência contra mulheres e meninas?"

A resposta de Mia Mamede foi:

— A minha responsabilidade como miss é ser um exemplo para outras mulheres. O papel da miss vem evoluindo muito desde que ele foi construído, lá em 1950. A miss do século 21 tem que ser profissional, tem que ter visão, propósito e saber para que veio. Ela é uma miss empoderada e eu quero ser este exemplo para outras jovens meninas. Quero incentivar mais mulheres a pegarem posições de liderança, para que elas possam fazer parte da mudança que a gente precisa. Mudar a educação para desconstruir o machismo enraizado que temos ainda nesse país.

Formato Híbrido

O Miss Universo Brasil 2022 foi realizado em formato híbrido: a escolha das representantes de cada Estado até os cortes das classificadas foi feita virtualmente. Já a decisão final desta terça-feira ocorreu presencialmente, em um jantar de gala para cerca de 200 pessoas. As etapas do concurso começaram ainda em junho, com entrevistas com as 26 candidatas, mas ao longo das semanas, o número de participantes foi se estreitando: do top 16 para o top 10, até chegar ao top 5.

Na semana que antecedeu a final, as cinco competidoras viveram uma espécie de "confinamento" em um hotel da capital paulista, onde participaram de ensaios fotográficos, entrevistas e agendas turísticas. Na manhã desta segunda-feira (18), participaram de avaliação dos jurados, respondendo perguntas sobre vida pessoal e temas gerais como cultura, papel da mulher, machismo e conhecimento de línguas estrangeiras.

A empresária Marthina Brandt, que é diretora-geral da franquia Miss Universo Brasil e foi a vencedora do concurso em 2015, emitiu um comunicado nesta semana ressaltando que a beleza não é o único quesito avaliado pelos juízes na hora de decidir a nova Miss Universo Brasil: "A candidata que for eleita vai representar a organização do concurso e também se transformará num símbolo para o país. E por isso precisa apresentar outras qualidades além da aparência. É fundamental que tenha uma personalidade que chame a atenção e se destaque entre as demais, além de ser comunicativa, segura, confiante e que tenha muita clareza em relação ao seu propósito na sociedade e no trabalho que desenvolve como miss".

Esta edição do concurso contou com a apresentação de Cris Barth e teve no corpo de jurados Gustavo Aquino, cirurgião plástico de Belo Horizonte; a modelo e apresentadora do Esquadrão da Moda Renata Kuerten; o médico especialista em emagrecimento João Antônio; Gabriela Manssur, ex-promotora de Justiça e especialista em direito das mulheres; Fábio Luís de Paula, colunista da Folha de S. Paulo; Ariana Lima, fotógrafa de publicidade e moda; Leonardo Gaspar, psiquiatra e Fábio Arruda, consultor de etiqueta e comportamento.

.

Fonte:

GZH

Copyright 2017 © Todos os direitos reservados - Rádio Tapejara FM 101.5. contato@radiotapejara.com.br
57.197.939 de acessos desde 2009