“Desespero total”, diz jogador de Passo Fundo que mora na Ucrânia
MUNDO
3.2K

“Desespero total”, diz jogador de Passo Fundo que mora na Ucrânia

País sofre vários ataques russos desde a madrugada

24/02/2022 14:00
Compartilhar
        


Jogadores de futebol brasileiros que vivem na Ucrânia estão isolados e pediram socorro ao governo federal para sair de Zaporizhzhya, distante cerca de 500 quilômetros da capital, Kiev. O país está sendo invadido por tropas russas.

Um dos atletas que aparecem no vídeo é Cristian Daniel Dal Bello Fagundes, de 22 anos, natural de Passo Fundo. Ele define a situação do país como 'desespero total', em mensagem enviada ao G1 na manhã desta quinta-feira, 24/02.

Vitória Magalhães, esposa do também jogador Juninho Reis, relata que a situação é de pânico e que as fronteiras e espaço aéreo estão fechados. "A informação que a gente tem é que a gente fique tranquilos, e não tem como ficar tranquilo em uma situação dessa", diz Vitória.

"Queremos alcançar o máximo de pessoas possível com esse vídeo. Que todos vocês possam compartilhar e chegar no Brasil pra que o governo brasileiro possa nos ajudar nesse momento tão difícil", diz Cristian.

Enquanto as forças militares russas avançam sobre o território ucraniano, a família de Cristian, no interior de Passo Fundo, Norte do RS, vive a angústia de não saber o que fazer.

A irmã de Cristian, Ana Paula Dal Bello Fagundes diz que o irmão relatou que "só pessoas que têm carro estão saindo [do país]". Contratado pelo Zorya, de Luhansk, ele se mudou para o país há cerca de quatro meses, segundo seus familiares.

Entenda

A Rússia, com autorização do presidente, Vladimir Putin, iniciou na madrugada desta quinta-feira uma ampla operação militar para invadir a Ucrânia. Há imagens de explosões e movimentações de tanques em diferentes cidades ucranianas. Putin disse às forças ucranianas que deponham as armas e voltem para casa.

"Quem tentar interferir ou, ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história", ameaçou.

A operação iniciou no leste da Ucrânia mas foi além da região de Donbass e diversas cidades ao longo de toda a fronteira ucraniana foram bombardeadas.

Fonte: G1/RS




Notícias Relacionadas