12 janeiro 2021 | 16h00
  76
Compartilhar      
TSE: Não houve irregularidade na votação eletrônica em 2020
Auditorias externas foram realizadas pelo TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou nesta segunda-feira (11) que auditorias externas nas eleições municipais de 2020 mostram que não foram identificadas quaisquer situações que comprometessem "a transparência e a confiabilidade" da votação eletrônica.

Em nota, o TSE acrescentou que as auditorias externas ocorreram nos tribunais regionais eleitorais (TSE) e foram feitas por uma empresa especializada, contratada por meio de licitação.

O tribunal tem ressaltado que não há qualquer evidência ou indício de fraude no processo eletrônico de votação.

O tribunal também destacado que as urnas eletrônicas brasileiras são passíveis de auditoria e fiscalização por partidos políticos, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil e outras instituições antes, durante e após o processo eleitoral.

Presidente do TSE, o ministro Luís Roberto Barroso também tem reafirmado que as urnas são imunes a ataques cibernéticos.

As auditorias

As auditorias externas, explicou o TSE, são feitas com o objetivo de examinar e validar a organização, a condução e a conclusão dos trabalhos na chamada votação paralela.

A votação paralela é um procedimento da Justiça Eleitoral que verifica os sistemas da urna eletrônica. O objetivo é comprovar que o voto digitado pelo eleitor é o mesmo que será computado e fará parte do Boletim de Urna (BU), documento emitido após o fim da votação.

Conforme explicou o TSE, a Comissão de Votação Paralela é composta por servidores dos TREs e presidida por um juiz eleitoral, e o trabalho ocorre no mesmo dia e hora das votações dos eleitores e tem a participação de partidos políticos, OAB, Ministério Público e cidadãos.

A auditoria externa, então, atesta o trabalho dessas comissões. Analisam, por exemplo:

formação;

atuação dos servidores;

as conclusões às quais chegaram.

Nos relatórios, produzidos em cada estado, nos dois turnos, não foram encontradas irregularidades.

Fonte:

TSE e

G1

Copyright 2017 © Todos os direitos reservados - Rádio Tapejara FM 101.5. contato@radiotapejara.com.br
53.655.013 de acessos desde 2009