01 abril 2020 | 09h30
Atualizado em 01 abril 2020 | 19h35
  4.8K
Compartilhar      
Ministro Moro errou ao citar como exemplo caso de detento no RS
FakeNews citava que homem estava solto por causa do vírus

Na tarde desta terça-feira (31), a Polícia Civil de São Leopoldo, coordenados pelo Delegado de Polícia Rodrigo Zucco, prendeu um indivíduo em sua residência, em Campo Bom, e com ele foi localizada grande quantidade de droga, armas e munições.

Ao todo, foram apreendidos 03 coletes balísticos, um veículo clonado, 124 kg de cocaína, 12 kg de crack, 12 kg de lidocaína, 5 fuzis calibre .556, 1 submetralhadora calibre .9mm e 1 fuzil calibre .762.

Ao criticar na terça-feira (31) alguns juízes que libertaram integrantes de facções criminosas sob o argumento de risco de contraírem coronavírus na prisão, o ministro da Justiça, Sergio Moro, deu exemplo de um caso em São Leopoldo (RS). Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, Moro alertou:

—Informação de última hora, isso precisa ser confirmado...Foi preso em São Leopoldo um detento de 38 anos que foi libertado semana passada por prisão domiciliar humanitária.

Só que não era verdadeira a informação. A Polícia Civil, de fato, prendeu um integrante da maior facção do Vale do Sinos com farta quantia de drogas e os sete fuzis. Só que ele não é mais presidiário, nem foi liberado da prisão como precaução contra a contaminação por coronavírus. GaúchaZH checou com autoridades policiais e do sistema penitenciário. O detido cumpriu sua pena antes do advento da pandemia.

A prisão, realizada pelo delegado Rodrigo Zucco, aconteceu na residência do suspeito. O ex-apenado estava fora do sistema carcerário (ou seja, não cumpria pena em nenhum regime) no momento do crime e possui antecedentes pelo envolvimento em roubos de veículos. Na terça, ele foi preso em flagrante por tráfico e porte ilegal de armas de fogo de uso restrito.

O delegado diz que recebeu informação de que as armas se destinavam a confronto com outra facção criminosa. Isso será confirmado pelo exame dos celulares do preso.

CONTRAPONTO

O que diz o ministro Sergio Moro:

A assessoria de imprensa do Ministério da Justiça informa que o ministro recebeu alertas de policiais da região Sul e também notícias de jornais e sites. Uma delas falava que o preso tinha sido libertado por precaução contra a epidemia. Mas, na entrevista, o ministro destacou que era preciso confirmar a informação, e disse que a recomendação continua sendo válida: que os presos perigosos não devem ser soltos por motivo de coronavírus.

Leandro Adão

Polícia Civil RS

ClicRBS

Copyright 2017 © Todos os direitos reservados - Rádio Tapejara FM 101.5. contato@radiotapejara.com.br
52.439.471 de acessos desde 2009