08 outubro 2019 | 15h57
Atualizado em 08 outubro 2019 | 15h59
  1.3K
Compartilhar      
Falso advogado foi preso em Erechim, foragido também é acusado de estelionato
Homem comprava e não pagava por carros de até 30 mil reais

O “falso advogado” que é acusado de aplicar vários golpes na compra de veículos, se apresentou na manhã desta terça-feira (8), na DPPA de Erechim e acabou preso.

Após inúmeras denúncias chegarem ao conhecimento da Policia Civil, feitas pelas vítimas do suposto estelionatário iniciou-se uma investigação que resultou em um mandato de prisão preventiva, expedido pela comarca de Erechim contra o “falso advogado”.Ele teria feito mais de 50 vítimas, na região de Erechim.

Ao se apresentar à Policia Civil de Erechim, nesta terça-feira foi dada a voz de prisão, por ele se encontrar em situação de foragido da justiça. O homem foi encaminhado ao presídio Estadual de Erechim.

Segundo as informações, o homem identificado pelas as inicias D. O. R, com uma revenda de carros na Rua Pernambuco, se passava por advogado e praticava vários golpes ao anunciar no Facebook, página Facebrique Erechim, a compra de carros de valor até R$30 mil reais pagando a vista, financiando ou quitado.

Depois de registar em cartório, com toda a documentação em dia, o golpista adiava o pagamento e simplesmente sumia com o veiculo. Até agora já são mais de 30 vítimas que caíram no golpe em Erechim, mas o número pode passar de 50 vítimas.

Uma das últimas denúncias feitas contra o falso advogado, foi a de um homem que preferiu não se identificar, ele vendeu um veículo Polo Sedan, no dia 30 de agosto, para o suposto advogado. O combinado foi ele pagar o valor de R$ 26 mil reais, porém o homem até hoje não recebeu nenhum centavo pelo seu veiculo, que pode já ter sido vendido para uma terceira pessoa.

No dia 05 de setembro um jovem foi atraído na pagina do Facebrique Erechim, e começou a negociação com a secretária do golpista para vender seu carro no valor de 30 mil reais.

Depois de avaliado, o golpista informou que ficaria, pois o carro estava em bom estado. A vitima então foi até o escritório do suposto advogado para fazer o contrato. Combinadas as propostas foram direto ao tabelionato.

No dia 08 de setembro, ficou acertado o primeiro pagamento de R$ 8 mil reais, sendo que o meliante não o fez, alegou que o cheque que ele teria para depositar era de fora do estado, e que a vitima teria que esperar mais uns dias para compensar.

Passados alguns dias e nada do pagamento, então a vitima resolveu ir até o escritório, do suposto advogado dono da empresa na Rua Pernambuco, chegando no local, dois seguranças colocaram a rapaz pra correr.

RSAgora

Copyright 2017 © Todos os direitos reservados - Rádio Tapejara FM 101.5. contato@radiotapejara.com.br
50.093.244 de acessos desde 2009